terça-feira, 23 de abril de 2013

Zadar - A cidade do pôr-do-sol de Hitchcock

"O sol, mesmo em toda sua majestosidade, parecia tímido, escondido por um véu de nuvens. Já o mar, despercebido, parecia chamar atenção cantando, na esperança de tirar o foco do seu irmão mais velho. Era um canção interminável, embora de imensa beleza; um som que penetrava muito mais que palavras. Talvez um canto de agonia, clamando 'Estou aqui, vivo. Cuidem de mim.' Já era impossível impedir que memórias inundassem minha mente de pensamentos. Caso alguém me observassse, veria um sorriso vacilante esvaecendo-se do meu rosto, apenas porque eu já estava feliz com tão pouco, somente por estar ali, vivo. 'Porque eu quero sempre mais?' Me perguntei. Por último, me restou concordar com Hitchcock que não podia estar mais certo ao dizer que o pôr-do-sol de Zadar deveríamos ver antes de morrer."


Nome: Zadar
País: Croácia
Língua Oficial: Croata
Moeda: Kuna

Croácia
A saga em direção a Zadar começou no aeroporto de Liverpool, toda a tensão do mundo pra saber se a mala não ia dar problema na Ryanair. Madrugamos no aeroporto - reservamos um táxi com antecedência - afina nosso voo era as 7 da manhã, promoção da Ryanair igual a horário extremamente fora de pico. Fomos no guichê, recebemos o carimbo nas passagens, e seguimos em direção ao portão de embarque.

Surpresa! Antes de chegar no portão tinhamos que pesar nossa balança, olha que legal. Pesei e haviam 400 gramas a mais na mala. Completo desespero, porque parte dos meus amigos já havia passado pela balança e eu tinha ficado pra trás. Abri minha mala as pressas no chão do aeroporto, sai catando mil roupas, mais precisamente 3 camisas e 1 suéter, joguei uma sacola que tinha em mãos com biscoitos - D: - e antes de fechar completamente, pesei só por segurança, 9,8 kilos. Amém.

Tranquei a mala, conferi pra ver se não larguei nada, e me mandei, felizmente fui rápido e deu tudo certo. Na segunda fila pro portão de embarque, uma asiática estava abrindo a mala e pondo de volta as roupas que ela tinha tirado na balança, igualmente a mim, e pensei, se ela pode, também posso. Abri a mala, soquei tudo de volta, e passei. Isso definiu o resto do meu destino em todos os voos que peguei, e vocês entenderão porque nas próximas postagens

O voo da Ryanair foi uma completa novidade. Eu mal tinha viajado de avião antes de vir pro Reino Unido. Nas minhas contas, havia viajado 4 trechos no Brasil, ou seja, pouca experiência. A companhia tenta te vender até orgão dentro daquele voo, lanche, seguro-viagem, raspadinha, bebida, perfume e até cigarro!!! Claro que antes eles falam hilariamente que é terminantemente proibido fumar no voo, mas logo em seguida oferecem pra comprar cigarro. Gargalhei muito.

O voo foi tranquilo até o momento em que eu comentei que foi tranquilo com um amigo do lado durante a preparação para o pouso. O céu de Zadar estava repleto de nuvens de chuva, então a descida foi bem desesperante. Tem aquelas pequenas 'lombadas' no ar que você faz só um 'wow' mas quando você acha que é só isso tem aquela que você faz 'fudeu, é agora que eu vou dessa pra uma melhor' e começa a rezar. Risos nervosos não nos faltaram. Bem, sobrevivi pra contar a história. 

Imigração okay. Carimbo no passaporte o/. Espero que o primeiro de muitos. Táxi pro hostel custando 180 kunas - claro que não iam deixar de explorar os turistas. Enfim, chegamos. O malandro do taxista não queria dar troco, mas demos um jeito e trocamos na recepção do hostel. Onde ficamos se chamava Drunken Monkey Hostel o qual recomendo fortemente pra qualquer um que queira ir pra Zadar. Os donos são dois caras muito gente boa que te ajudam em tudo que você precisar. 

O primeiro dia em Zadar foi tranquilo. Como tínhamos chegado já depois do horário de almoço, descansamos um pouco da viagem e fomos em busca de algo pra comer na Old Town que é bem pequena e tranquila de andar. Depois de um tempo já dominava os becos e ruas daquele lugar. Por indicação dos donos do hostel fomos para um restaurante chamado Grill Canzona um bom lugar pra se almoçar pela primeira vez na cidade. Comi frango grelhado, maionese, batata frita e com uns pães muito bons. Não saiu caro, o prato custava 35 kunas em que a conversão fica de 1 pound para 9 kunas o que muitas vezes me fazia sentir rico lá.

Depois desse rápido e delicioso almoço, partimos para o cartão postal da cidade que é onde ficam as ruínas do Fórum Romano - Roman Forum. Lá estão a Igreja de St. Donat's - St. Donat's Church e a Catedral de St. Anastasia - St. Anastisia Cathedral com sua torre.

Literalmente o cartão postal de Zadar.
Charmosa pracinha no fórum romano.
Os vários resquícios do Fórum Romano
Como não tentar imaginar o que uma vez existira ali?
Marc
Isso foi o que deu pra render daquele dia. Na volta pro hostel, passamos em um mercadinho pra comprar comida pra jantar e tomar café. Muito barato. Meio complicado de escolher, porque as marcas eram todas diferentes de tudo que eu já tinha visto, até no UK, e as pessoas não falam inglês suficiente pra explicar bem o que são aquelas coisas. No fim das contas deu certo.

Vou até repassar um mini guia de croata que recebemos ao chegar no hostel o que ajuda muito a tentar manter um diálogo com os nativos. 

Cuidado quando for pedir desculpa/licença
Você acha que pediu desculpa, mas quase chama a pessoa de prostituta. Isso é croácia. Brincadeira gente, respeito muito a cultura daquele país maravilhoso o qual com certeza retornarei, só não podia perder o trocadilho.

O segundo dia foi mais planejado e rendeu bem mais, até porque no terceiro queríamos fazer um passeio nos lagos Plitvice - Plitvice Lakes que acabou não rolando mas surgimos com um plano B tão interessante quanto. Enfim, no primeiro dia conseguimos nos perder da entrada principal, e acabamos entrando numa entrada secundária, porque pra quem não sabe, a Old Town é uma cidade envolta por muros de pedra, então se você quer entrar na cidade, tem que ir em algum dos portões principais - gates - ou então você só entra de tiver disposição pra escalar muros de pedra.

Chegamos enfim ao Land Gate, portão principal. Se eu não me engano, é um resquício do poderio de veneza sobre a cidade, e o seu símbolo o leão.

Belezinha com alguns séculos de história pra contar.
Um entra e sai de líderes que só ele mesmo pra saber explicar.
As docas ao lado do Land Gate
Seguimos então para a Five Wheels Square a priori uma praça comum, mas que vale a pena conferir.

Five Wheels Square
Mais uma andadinha e chegamos novamente nas ruínas do fórum romano, e fomos na torre da catedral da St. Anastasia. 10 kunas mais pobres, 180 degraus depois e uma pancada na cabeça chegamos ao topo. Uma vista incrível de Zadar. De lá dá pra ver toda a Old Town tranquilamente.

East View - Vista Leste
Southwest View - Vista Sudeste
North View - Vista Norte
West View - Vista Leste
South View - Vista Sul
Parcial Panoramic View
Saímos daqui e fomos tomar um sorvete prometido como um dos melhores do mundo, e tenho que admitir, foi o melhor que essa pessoas que vos escreve já provou, ou melhor, foram porque todos os dias tomamos um sorvete. E pra completar, uma bagatela, 7 kunas numa bola hiper caprichada, com uma cobertura quente de chocolate que automaticamente vira numa coisa crocante. Enfim, parei de falar sobre isso que me deu até fome. O difícil era escolher entre os sabores atípicos, embora os clássicos estivessem bem presentes. Assim que possível atualizo o post com o nome da sorveteria.

Ainda tomando sorvete, fomos direto para o Orgão Marinho - Sea Organ e ver todo o conjunto que constitui o pôr-do-sol de Zadar. Um vídeo vem bem calhar nesse momento antes da explicação do que seria tudo isso.


O Sea Organ é uma atração recente construída pelo arquiteto Nikola Basic em 2006 que se constitui de canos que usam a força das ondas do mar para reproduzir o som que o mesmo faz. Uma obra engenhosa e brilhante que atrai turistas do mundo inteiro. Junto com ela, foi criado o The Greeting to the Sun, uma gigantesca placa de painéis solares que passam o dia armazenando energia para a noite produzir um suposto belo show de luzes, que não chegamos a ver, não por falta de tentativa, que no caso foram 2. Infelizmente o troço estava quebrado, provavelmente.

Pra completar, outro documentário estava sendo gravado. É isso, senhoras e senhores, quem leu a postagem sobre Liverpool viu que já havíamos aparecido em um documentário, então a fama está mais que comprovada. Vou ficar devendo a vocês o resultado desse documentário, porque foi pra um canal de televisão norueguês e eu ainda não consegui achar, mas assim que possível, atualizo aqui pra vocês.

Foi esse belo lugar que proporcionou minhas palavras sinceras na introdução desse post. Gostaria de deixar as palavras de Alfred Hitchcock em sua visita a Zadar em 1964:

"Zadar has the most beautiful sunset in the world, more beautiful than the one in Key West, Florida, applauded at every evening."

Confira outros destinos na seção Já Fui.

Aguardem a segunda parte dessa viagem sensacional à Croácia.Gostou da postagem? Compartilhe através das redes sociais disponíveis nos botões logo abaixo. Curta também a nossa fanpage no facebook aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...