sábado, 21 de setembro de 2013

Quem tem boca...


vaia Roma! Mas vaia com a boca cheia de pasta, xinga enquanto se delicia nessa culinária que o mundo inteiro já abraçou! E não faltam motivos porque a cidade inteira é uma bagunça, a começar pelo trânsito. Afinal mais abusado que os motoristas, só os pedestres que atravessam as ruas aleatoriamente, fazendo com que os carros que desviem das pessoas. E sinalização pra quê? Quem vai pra Roma tem que saber onde as coisas ficam exatamente, e a forma de se guiar é no faro. *lambe o dedinho e aponta pra cima* Pedir informação? Foi isso que eu ouvi? Não adianta caro amigo, eles apontam numa direção, mas as ruelas te fazem dar voltas.

Mas quem liga de se perder? Porque o que a cidade tem de louca tem de bonita. Com um mapa você tem Roma na mão, aliás, nos pés. Porque adivinhem só? O sistema de transporte também não é eficiente, mas também não é inútil. Basicamente só duas linhas de metrô cortam a cidade, então não vá esperando que o metrô vai te deixar na esquina da sua atração principal. Coloque um tênis bem confortável e planeje bem de onde pra onde você está indo, ou vai acabar conhecendo a cidade inteira à pé.

Os italianos acabaram me provando serem primos de 1º grau dos brasileiros, porque quando eles querem são bem espertos, demais pro meu gosto, eu diria. Camelôs já aprenderam a tática da insistência, mas ainda não tem confiança pra manter um preço, afinal um firme 'não' vai te dar surpreendentes descontos. Falando em dinheiro, sabe aquela lenda que se você jogar uma moeda na Fontana di Trevi você volta à Roma? Bem, considerando que essa sua moedinha mais as moedinhas do todos os turistas, (inclusive eu) que caem na besteira de jogar nem que seja um centavo de euro rendem 700 mil euros por ano, basicamente a Itália deve investir isso em propaganda e por isso você acaba voltando por causa da tentação pra Roma. Mistério resolvido.

Seu paladar nunca será o mesmo depois da Itália, o que é uma pena. Toda esquina tem um restaurante e toda pasta que você pedir vai ser uma delícia. Como é minha obrigação provar das comidas típicas, tive uma aula de pastas, desde o spaghetti até o tortellini, passando pela lasanha, evoluindo pra pizza e terminando com o maravilhoso gellato. E pelo menos nesse aspecto você vai ter a certeza do êxito, mas claro que vão ter garçons antipáticos no caminho, porque nada podia ser perfeito. *cof cof* Me engasguei com o macarrão. 

Roma é essa relação de amor e ódio. É um morde e assopra. Mas quem nunca teve uma relação assim? Talvez seja isso que prenda os turistas e deixem nossas visitas tão inesquecíveis, seja para o bem ou para o mal. Tudo teria sido melhor pra mim, se eu não tivesse ficado hospedado num buraco de rato, o pior hostel da minha vida sem competição. Pode ser que daqui à alguns anos eu não lembre mais dos pequenos estresses que eu passei em Roma, mas com certeza nunca vou esquecer o gelatto de Nutella que eu tomei.

Chegando em Roma de Ryanair partindo de Warsaw

Pra quem vem acompanhando a viagem até agora, viu que eu tentei pegar só trem, mas como eu estava na Polônia e queria dar um pulinho na Itália, tive que apelar pra Ryanair. Cheguei já um pouco tarde no aeroporto que fica afastado da cidade, e peguei um shuttle que eu tive que pagar na hora 3.90 euros. Não tem dificuldade de achar, porque quando saímos do portão de desembarque, já estávamos praticamente fora do aeroporto. O shuttle me levou até a estação de trem Termini que ficava vem próximo ao meu hostel.

Hostel

A área em torno da estação naquela hora da noite era SUPER estranha. Eu só sabia como me guiar pra chegar no hostel porque fui esperto e tirei o print do mapa no google maps, porque o capeta do hostel não dava direções corretas nem diretas. O caminho até encontrar o buraco que eu fiquei hospedado foi um dos mais aflitos da minha vida. Eu tenho certeza que eu estava sendo seguido por uma galera muita estranha, e comprovei isso porque parei quando vi um grupo de pessoas normais pra 'amarrar' meu sapato. Eles tiveram que continuar o caminho, mas logo voltaram e começaram a me seguir novamente. Em algum ponto eles desistiram amém, porque se tivesse me roubado ali ia ser muito triste.

Vou dizer o nome do hostel só pra vocês NÃO ficarem nele nunca. Diamond B&B. Pra começar era um mini-apartamento com dois quartos, um projeto de sala, uma cozinha/escritório e dois banheiros nojentos até a última cerâmica do teto. Não sei como sobrevivi sem pegar uma doença mortal as 3 noites que passei lá mas enfim. PRA COMPLETAR, eles me fizeram pagar o depósito que a gente já paga pelo hostelworld de novo. Pra não ficar sem teto pra dormir, até porque a cidade já estava toda lotada, tive que pagar me corroendo de raiva por dentro.

Roteiro 

Como Roma é estranha, não tem Free Walking Tour de manhã, por algum motivo era só de 5 horas da tarde da Plaza di Spagna, então comprei um day ticket por 6 euros e fui conhecer a cidade. Eu tinha pouco menos de 3 dias pra conhecer uma cidade e um país inteiro, Roma e o Vaticano. Mesmo assim, deu pra ver os pontos principais.

O dia começou no Fórum Romano. Eu já tinha pesquisado sobre o pacote de atrações que envolvem o Fórum Romano, o Coliseu e o Palatino. O que eu havia lido, se confirmou ser verdade: Compre o ingresso no Fórum Romano. Todo mundo corre primeiro pro Coliseu e é claro que as filas lá são muito mais gigantes, então comece o dia pelo Fórum Romano e Palatino que tudo vai ser mais rápido. 

O Fórum Romano é um sítio arqueológico ainda em atividade do que seria o ponto mais famoso de toda a história: o coração da Roma antiga! Assim que inventarem a máquina do tempo, façam questão de visitar esse lugar algumas centenas de anos atrás e confirmem que esse era o lugar de encontro da galera mais 'cool' de Roma e do mundo. Eu meio que me arrependi de não ter pego guia nem ter pego aqueles fones que vão contando a história, mas li todas as placas possíveis. É um lugar foda que não deve ser deixado de lado por aqueles que vão à Roma. 






Logo ali do lado já era o Coliseu! Só pra começar, vocês tinham ideia de que o Coliseu tinha uma cobertura para o caso de chuva? Tá pensando que isso é invenção nova de estádios chiques? 


Antes e Agora. Coliseu!

Aqui eu queria a visita guiada, só que já tinha acabado :3 Really? Yes! Rodei, rodei esse lugar de ponta a ponta. Gigante e magnífico. Fiquei querendo desvendar cada portinha, entender como levavam os animais até a arena, como era as premiações, o que o pessoal fazia na arquibancada. Tudo muito interessante.




Pra registrar, fiz minha guitarrinha e fui feliz tirando foto lá no Coliseu!


Logo depois do Fórum Romano super cansativo bateu aquela fome. Comer o que? Pasta :)))))))) Saímos caminhando bem sem rumo em busca de um restaurante que parecesse bom. Um dos melhores pedaços de lasanha que eu já comi na minha vida! Roma não me decepcionou.

Surpresa foi andar uns passinhos junto no fluxo de turistas de descobrir que tinha uma fonte um tiquinho conhecida do meu lado...


Eu não podia deixar de jogar a moedinha na Fontana de Trevi que supostamente te leva de volta a Roma né? Jogando do jeito certo, mão direita sobre o ombro esquerdo que é o lado que tem o coração. Voltarei pra Roma um dia? Saberemos.



A história da Fontana di Trevi é bem misteriosa. Segundo reza a lenda, soldados que faziam seu turno nessas bandas avistaram uma mulher supostamente a Virgem Maria que os  falou de um fonte de água que haveria ali e pediu que construíssem essa fonte. Tanto que o nome mesmo da fonte é algo com Virgem, e não Trevi. Na verdade não se sabe de onde surgiu esse nome, mas a teoria que mais me convenceu é porque a fonte de três entradas, então é um trevo ou em italiano, trevi. Também dei uma passadinha a noite pra ver se ela ia continuar bonita :D


Logo depois do Coliseu corri pra Plaza di Spagna pro Free Walking Tour e grande foi minha surpresa a não ter nem sinal do guia. O negócio era voltar no outro dia e ver se o danado ia aparecer. Assim o fiz, e finalmente o danado apareceu.

Plaza di Spagna
O guia estava sempre chamando Roma de a cidade das três capitais, isso porque nessa praça tem dois territórios de outros países, um do Vaticano e outro de Malta.


A casa do famoso (?) que eu não conheço estilista Valentino. Abaixo.

Cobertura num dos cantos mais caro de Roma.
Aqui começa o verdadeiro passatempo de pessoas curiosas e observadoras como eu. O Papa Urbano VIII adorava fazer construções, e Bernini era seu escultor de confiança, digamos. Como símbolo da família do papa (Barberini) eram três abelhas, essa foi a marca que ele deixou em tudo que Bernini esculpiu durante seu período no poder. Então ele deixou milhares (literalmente) de 'bumblebees' Roma a dentro.



Outro detalhe a ser chamado atenção é que Bernini (o escultor, não confunda com o Papa) prezava pela simetria, então pra que as janelas não quebrassem essa simetria, ele simplemente fazia esses quadrados, quando não pintava uma janela (que nem na foto acima). Muito louco esse cara.


Igrejas e Igrejas foram mostradas nesse tour, mas uma me chamou a atenção em especial.


Era essa que tinha a pintura abaixo! Era uma igreja fundada por jesuítas, ou seja, 'padres viajantes'. Então fizeram essa maravilhosa pintura com os continentes do mundo, faltando só a Oceania. (Cliquem para ampliar)


Também tinha esse falso domo nela. É somente uma pintura que incrivelmente vista de qualquer ângulo sempre vai te fazer acreditar que você está vendo um profundo domo. Essa é a Igreja de São Inácio de Loyola ou Chiesa di S. Ignazio di Loyola.


A foto da direita acima é o Obelisco de Trajano! Basicamente um filme retratado em 'frames' que de fato contam uma história.


Pra fechar a listinha só faltava o Pantheon! Não confunda com o Paternon que é na Grécia. O Pantheon é um edifício histórico, um dos único ainda bem conservados, da época greco-romana. Um templo dedicado aos deuses Romanos que só sobreviveu aos Papas porque foi 'transformado' em Igreja. Toda a ornamentação aos deuses romanos foi retirada e você percebe pelos buracos nas faixadas. O domo do Pantheon que por acaso é o domo mais alto do mundo era feito de bronze. Só que esse bronze foi extraído pra fazer o famoso Baldaquino na Basílica de São Pedro.



Um dos diferenciais do Pantheon é a abertura no teto que permite a entrada de sol e claro de chuva que é uma metáfora onde foi tirado o limite entre o céu e a Terra ou seja, entre os deuses e os humanos. É por isso que bem no meio do chão tem uns buraquinhos que funcionam como ralo para que a água escorra. 


E olha só o que você encontra numa das pilastras do Pantheon. Uma abelhinha. Só que você concorda comigo que não tem como o danado do Papa Urbano ter mandando Bernini construir o Pantheon já que eu falei que era uma obra greco-romana. Só que eles consideravam que qualquer retoque que eles dessem, já podia colocar a marca do Papa. Danados, não? 



Essa foi uma das fotos mais hilárias que eu já tirei na minha vida!


O que aconteceu é que uma artista de rua estava lá tentando conseguir seus trocados quando chegaram os policiais romanos pra saber se ela estava regularizada. Mas como checar a foto de alguém que é "invisível"?


Acima uma foto de uma Ferrari tirada surpreendentemente na loja (um assalto) da Ferrari. E abaixo outro estereótipo Italiano que eu tinha esquecido completamente que era de lá. Pinocchio.


Só mais uma dica de lugar pra comer. Próximo à Fontana di Trevi tem a Spaguetteria L'Archetto. Cliquem no nome caso queriam saber a localização. O preço é razoável e a comida é excelente. Talvez você espere alguns minutos por uma mesa mas vale a pena. Se quiserem tomar Starbucks na Itália, boa sorte, porque não vai encontrar. Isso é tudo. Abraço.


Confira outros destinos na seção Já fui.

Gostou da postagem? Curta o ExpressoLondres no facebook aqui.

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...