sábado, 9 de fevereiro de 2013

Uh Tiazinha


Pub deríva-se do nome formal inglês "public house". É um estabelecimento licenciado para servir bebidas alcoólicas, originalmente em países e regiões de influência britânica.

Primeiro final de semana não podia faltar um bom e tradicional pub inglês. A escolha foi o "The Oak" um pub bem interessante do ladinho da universidade. A intenção mesmo era ir à um com karaokê, mas naquela noite não achamos, então acabamos indo nesse outro. Havia sido minha primeira vez num pub, e o cenário é bem aquele que a gente vê nos filmes, o balcão que serve bebidas com cartazes estilosos e interessantes, uma sinuca rodeada de jogadores e expectadores, pessoas aleatórias que parecem se vestir com roupas aleatórias, máquinas de jogos caça-niqueis e muito ar inglês pra todo canto que você olha.

Buscamos uma mesa para nos sentar, e para minha surpresa, o pub tem basicamente um tema jogos/filmes. Por coincidência (ou destino, faça sua escolha), a mesa que eu fui sentar displicentemente era a do tema Harry Potter/Avengers. Ignore os avengers e foque apenas no Harry Potter. USHAUS 


Ao prestar atenção na música que tocava, reconheci o ritmo de alguma forma, até notar que era brasileira. '-' Não fazia sentido estar tocando música brasileira, mas depois eu entendi. Já havia um grupo de brasileiros no pub quando chegamos, e existe uma máquina - a precedente de uma jukebox - em que por 1 pound você escolhe 3 músicas, e o acervo de músicas é incrível, tem muita música brasileira pra escolher. No começo, colocamos Garota de Ipanema, claro. Clássico. Depois foi Mamonas Assassinas. Já pelo fim da noite não podia faltar Valesca Popozuda e É o Tchan. Sim, caros leitores, eu desci o nível do pub sim, não podia perder a oportunidade de colocar a Gaiola das Popozudas. Fanzaço, só que não.

Enquanto estávamos escolhendo as músicas apareceu a primeira tiazinha da noite. Eu e um amigo, tranquilos, selecionando o repertório quando chega a tia, toda alternativa, e olha que ela já tinha uma certa idade, pedindo pra escolher uma música. Ela ficou do lado do meu amigo, então ela meio que estava pedindo pra ele, enquanto ele bancava o desentendido, literalmente. "Sorry?" / "Hã?" Fingindo não entender o que ela pedia. No fim ela estava praticamente debochando dizendo que uma música era 20p e a gente não queria dar pra ela. Primeiro, a tia não sabe fazer conta, porque 1/3 dá uns 33p. Segundo, ninguém tinha intenção de pegar a tia alternativa, então não tinha pra que ser cavalheiro. A tia cansou de argumentar e saiu.

Tequila nesse pub, com preço de estudante, custa 1 pound. Eu sempre tive vontade de provar, até porque não bebo. Ao estilo sal -> tequila -> limão, eu fui. É, de fato o troço sai rasgando sua garganta. Expectativa: Entrar em coma alcoólico, pelo fato de nunca ter bebido e teoricamente ser sensível ao álcool. Realidade: Fiquei de boa na lagoa, embora sempre estivesse prestando atenção se eu estava ficando bêbado. Okay, paranóia.

Lá pelo fim da noite, o pessoal resolveu jogar sinuca. Jogaram um partida, e já apareceram ingleses viciados lá. O modo de dizer que a próxima partida é deles, é deixar as fichinhas numa das bordas da sinuca. Eles ficaram agoniados pela demora dos meninos pra terminar mas enfim. Jogaram a partida deles, jogaram muito bem. Palmas. Agora que vem a parte interessante. Enquanto ficamos por lá sentados, conversando, chegou a segunda tiazinha da noite, muito mais interessante que a primeira - inspirando a música do começo desse post. Ela abordou um dos brasileiros e começou a puxar papo, chamando ele pra jogar sinuca.

Ela aparentava uns 40 e pouco. Tinha cara de ser depressiva - também ir para um pub jogar sinuca, tô brincando UHSAUHS - e o nariz mais estranho que eu já vi. Você pega um nariz, corta a ponta dele com uma faca, de modo que a lâmina esteja paralela ao seu rosto, até que a ponta dele fica só o ossinho que divide as duas narinas. Assim era o nariz dela. Enfim, ela ficou na dela, parecendo inofensiva, mas em nenhum momento caí na dela. Começaram o jogo. O brasileiro deu a primeira tacada e espalhou as bolas. O jogo que eles estavam jogando era aquele em que cada jogador tem que derrubar as bolas de uma cor e depois derrubar a bola 8. Detalhe: Em cada jogada, a bola branca deve bater primeiro na cor do jogador em questão, caso faça o contrário, o outro jogador tem direito a escolher uma das suas bolas e jogar direto na caçapa.

A primeira jogada da tia foi simplesmente uma sinuca de bico. Justamente a expressão que usamos de vez em quando, ela deixou a bola branca atrás de uma bola dela, próxima a uma das bordas da mesa, ou seja, vamos foder com o amiguinho brasileiro. Eu achei foda, só tava de expectador mesmo. Foram jogando e jogando e ela praticamente colocou todas as bolas dela na caçapa deixando o brasileiro nessa posição, fazendo com que ele não acertasse bola nenhuma, ou acertasse as bolas da cor dela primeiro.

Houve um momento que ela sentou onde eu estava e começou a interagir. Perguntou o que a gente fazia, de onde éramos, mas isso é baboseira, o interessante é quem ela era. Perguntamos o que ela fazia. Ela respondeu trabalho com gente morta. Meu amigo entendeu de outra forma e perguntou se ela matava pessoas. USHAUSHAUSHAUH Não sei bem se ela entendeu, ou se não estava prestando atenção, ela explicou que trabalha em funerárias, elas que faz a maquiagem dos mortinhos, inclusive reconstituições de pessoas que sofrem acidentes e perdem partes do rosto. Praticamente uma cirurgião plástica. Me perguntei porque ela não ajeitava o próprio nariz, mas enfim. Houve uma hora que cheguei mais perto pra escutar o que ela dizia, mas imediatamente voltei ao meu posto ao sentir o bafo horrível.

Você meio que se acostuma a sentir o bafo dos ingleses. É aquele tipo de coisa que você aceita, pronto e morre com o fedor. Muitos ingleses tem os dentes estragados e bafos de matar. Mas enfim, a noite foi interessante, a tia fez valer totalmente a pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...