terça-feira, 19 de março de 2013

Caminhão de Sorvete

Quinta-feira foi um dos meus dias mais atípicos do UK. Primeiro gostaria de dizer que minha bicicleta está valendo muito a pena, porque apesar de fazer você se esforçar bastante, ela te serve de academia. Posso jurar que estou achando minhas pernas mais grossas, então cheguei a conclusão que nunca fiz tão bom negócio quando comprei essa bicicleta.

Estava um dia agradabilíssimo em que o clima me permitia sair de casa sem cachecol, com uma camisa por baixo e um casaco aberto por cima, ou seja, festa. Nesses dias parece que até seu animo fica diferente e você tem mais vontade de viver.

Esse foi um dos raros dias que saí sozinho de casa, e ao tirar a bicicleta de dentro de casa, um senhora estava sentada no meio fio, entre dois carros, quase na frente da minha porta, e assim que ela me viu, pediu ajuda. Eu acabei de tirar a bicicleta, tranquei a porta, e daí fui ajudar ela. Precaução primeiro. 

Ela havia caído, coitada, e não estava conseguindo se levantar sozinha, a sacola de compras rasgou e a mão dela também estava um pouco machucada, mas em síntese ela só queria que eu a ajudasse a levantar. Perguntei se ela queria que eu chamasse alguém, ou alguma ajuda. Enfim, eu larguei minha bicicleta do lado, e estendi uma mão pra ela, mas ela não conseguiu levantar ainda sim. Falou que ia tentar ficar de joelhos pra ter mais apoio, mas eu falei que seria pior. Larguei a mochila no chão, estendi meus braços, falei pra ela por força nas pernas que ia dar certo. Dito e feito. 

Ela me agradeceu muito mesmo. Ainda me ofereci pra acompanhá-la até em casa, mas ela me falou que morava no fim da rua. Segui em direção a faculdade. Fiz o caminho habitual, e vi o de sempre. Pessoas, pessoas e pessoas. Parei no subway, comi aquele B.M.T. na promoção, segui caminho.

Eis que quando eu estava quase chegando na faculdade, vejo aquela beleza: Um caminhão de sorvete. Eu nunca tinha visto um. Matuto? Talvez. Parei a bicicleta, e fiquei esperando o momento apropriado de tirar uma foto sem parecer uma pessoa perturbada e estranha, mas não teve outra, quando tirei, o Mr. Happy me viu - o batizei assim porque ele simplesmente não tirava o sorriso do rosto.

Quem quer sorvete?
A tentação foi enorme pra comprar. Mas, eu estava de bicicleta e a aula já estava prestes a começar. Infelizmente 1 hora depois ele já tinha sumido, assim como todas as intenções do tempo de permanecer um clima quente. Eu tenho a leve teoria que esses caras do sorvete devem ser muito viciados em mapa do tempo, porque eles só saem na rua se tiver 'calor', senão ninguém compra sorvete, a não ser eu que tomo independente do tempo, mas isso não vem ao caso.

Gostou da postagem? Compartilhe através das redes sociais disponíveis nos botões logo abaixo. Curta também a nossa fanpage no facebook aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...